Orientações Patológicas

 

ANSIEDADE

Causas

  • Deficiências nutricionais
  • Mudanças hormonais
  • Doenças
  • Idade
  • Genética
  • Experiências traumáticas
  • Vida estressante
  • Maus hábitos

Sinais e sintomas

Inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular, palpitações, falta de ar, taquicardia, aumento da pressão arterial, sudorese excessiva, dor de cabeça, alteração nos hábitos intestinais, náuseas, aperto no peito, insônia, depressão, alteração de humor.

Alimentos moduladores do estresse

  • Abacate
  • Oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas)
  • Semente de girassol
  • Semente de abóbora
  • Frutas cítricas
  • Vegetais verdes escuros
  • Chá verde

Chás calmantes: Maracujá, camomila, melissa, erva cidreira e capim limão -  3 a 4 xícaras ao dia

Orientações básicas

  • Ingerir de 5 a 6 refeições ao dia
  • Aumentar o consumo de água, frutas, verduras e ingestão de alimentos integrais
  • Diminuir o consumo de alimentos refinados
  • Estimular o consumo de alimentos anti-inflamatórios e antioxidantes
  • Melhorar o intestino
  • Praticar atividade física
  • Controlar a ingestão de alimentos inibidores do sono

 Fisiopatologia

Pacientes com transtornos de ansiedade parecem processar informações com atenção mais focada sobre uma situação supostamente perigosa em comparação com indivíduos sem o transtorno.

ALERGIAS ALIMENTARES

 Causas

  • Pode ser decorrente de má digestão ou intestino hiperpermeável
  • Baixa tolerância imunológica
  • Desmame precoce
  • Deficiência ou retardo na colonização de probióticos ou pela falta de nutrientes, principalmente o zinco
  • Maus hábitos alimentares, como consumo frequente de um mesmo alimento ou ingestão excessiva de bebidas no período da refeição.

Conduta nutricional

  • Excluir alimentos alergênicos inicialmente até melhora dos sinais e sintomas
  • Usar dieta de rotação por um período
  • Nos momentos de crise, evitar alimentos que aumentam a liberação de histamina
  • Evitar consumo excessivo de bebidas alcóolicas, cafeína e alimentos com fatores anti-nutricionais

Garantir boa digestibilidade dos alimentos

  • Boa mastigação
  • Refeições com restrição de líquidos
  • Refeições tranquilas
  • Evitar antiácidos sem necessidade.

Opções de estimuladores digestivos

  • Extrato de alecrim: 15 gotas, 15 min antes das refeições
  • 1 colher de sopa de sumo de limão 15 min antes das refeições
  • 1 colher de sopa de óleo de abacate 15 min antes das refeições
  • 1 xícara (200ml) de chá digestivo (sálvia, hortelã, erva cidreira, erva doce) com 3 gotas de limão após as refeições
  • Consumir uma fatia de abacaxi antes ou após as refeições.

BAIXA IMUNIDADE

O sistema imune pode ser subdividido em imunidade inata e adquirida (ou adaptativa). A imunidade inata é uma primeira linha de defesa, enquanto a adquirida é específica e requer adaptações contínuas a agentes estranhos. A comunicação interna entre imunidade inata e adquirida através de receptores e mediadores específicos é a responsável pela eficiência do nosso sistema de defesa.

Sinais e sintomas

  •  Infecções recorrentes (otites, amigdalites, estomatites)
  • Aftas e herpes
  • Doenças de pele causadas por fungos, vírus ou bactérias
  • Gripes e resfriados
  • Candidíase
  • Diarreias reincidentes

Alimentos moduladores

  •  Flavonóides: maçã, suco de uva, framboesa, amora, ameixa, berinjela e açaí
  • Ômega 3: sardinha, linhaça, chia
  • Prebióticos: cebola, chicória, banana verde, batata yakon, outras bananas, batata doce e mel
  • Vitamina B6: lentilha, arroz integral, aveia, semente de girassol, germe de trigo, bananas, cereais integrais e gengibre
  • Magnésio: semente de girassol, gengibre, semente de abóbora, pistache, castanhas, vegetais de folhas verdes, lentilhas, banana nanica e mandioca
  • Vitamina A: abóbora, cenoura, manga, batata doce, espinafre, mostarda, brócolis e couve
  • Selênio: alho, cebola, milho, cereais integrais, quinoa, castanha-do-Pará e nozes
  • Zinco: ostras, frutos do mar, carnes, peru, nozes, castanhas e semente de abóbora
  • Vitamina E: azeite de oliva, açaí, óleo de gérmen de trigo, amêndoa, nozes, castanhas, coco seco, abacate, óleo de coco, peixes e ovos
  • Vitamina C: acerola, caju, limão, goiaba, laranja, abacaxi, melão, agrião, espinafre, couve, brócolis e pimentão amarelo
  • Vitamina D: ovos de codorna, ovos de galinha, manteiga e óleo de fígado de bacalhau
  • Vitamina B9: levedo de cerveja, vegetais verdes folhosos, ovos, brócolis, couve de bruxelas, leguminosas e cereais integrais.

Alimentos restritos

Alimentos industrializados que contenham aditivos químicos, açúcar, gorduras, farinha branca, corantes, refrigerantes, bebidas alcoólicas, alimentos que são mais contaminados com agrotóxicos como tomate, batata, morango, pimentão, uva e que podem levar a uma exaustão do nosso sistema imunológico deixando o corpo mais inflamado.

*Atentar para intolerância ao glúten e a lactose* – Eles possuem moléculas de difícil digestão, levam à inflamação da mucosa intestinal, agindo como um agressor na resposta imune. Pode ser um dos causadores de baixa imunidade ou aparecimento de doenças autoimunes.

Orientações básicas

  • Evite comer em lanchonetes, restaurantes e em locais que não conheça a zona de preparo da refeição, pois a higiene dos alimentos é fundamental, principalmente quando a imunidade está baixa. Na dúvida, leve sempre um lanche de casa
  • A ingestão de alimentos ricos em antioxidantes, antifúngicos e anti-inflamatórios deve ser consumida diariamente
  • Os alimentos deverão ser bem higienizados e armazenados em local limpos e de acordo com a temperatura necessária para uma boa conservação
  • Não prove alimentos com cheiro estranho, alimentos estragados, que já venceram
  • Beba somente água filtrada ou fervida
  • O mel pode ser um parceiro nos chás, ele apresenta propriedades anti-inflamatórias que vai auxiliar na melhora da sua imunidade
  • Dê preferência aos cereais integrais, que ao contrário dos refinados, vão darem ao organismo tudo que ele precisa nesse período como os nutrientes: magnésio, zinco, cálcio, vitamina B9 e fibras
  • Evite também álcool, cafeína e sal refinado que enfraquecem o sistema imunológico e vão deixar a recuperação mais lenta
  • Leites e derivados (queijos, requeijões, iogurtes) dever ser moderados, isto é, evite o consumo diário. Esse grupo de alimentos apresenta um tipo de proteína de difícil digestão e ativa seu sistema imunológico, causando inflamação
  • Abuse dos condimentos: salsa, gengibre, guaco, hortelã, canela e pimenta.

 

 


Início / Orientações Patológicas